in

Brasileiro saiu pra comprar pão e acabou no exército nazista

Foto: Arquivo Pessoal

O curitibano Horst Brenke passou pelo que podemos chamar de maré de azar, enquanto comprava pão em Berlim, na Alemanha. Filho de pais alemães, Horst e sua família moravam no Brasil, mas retornaram à Alemanha em 1939 com o intuito de aproveitar a prosperidade econômica que Hitler proporcionava ao país na época. 

Contudo, o garoto viu sua vida se transformar em um completo desastre quando, ao sair para comprar pão, acabou sendo recrutado à força para integrar as fileiras do exército nazista, em maio de 1945.

A Segunda Guerra Mundial estava próxima do fim e, com Adolf Hitler já morto, as sobras das tropas alemãs eram castigadas por constantes ataques de forças soviéticas que buscavam a tomada de Berlim. A tropa em que Brenke foi incorporado marchava em direção ao 12° Exército Alemão para juntar forças a fim de resistir ao exército vermelho de Stalin. Logo foram interceptados e rendidos pelos soviéticos.

Brenke foi capturado na altura de Halbe, pouco mais de 50 quilômetros de Berlim, pela tropa do conhecido Ivan Konev. Já como prisioneiro, foi transferido para um campo em Vladimir, na Rússia, onde passou um ano e três meses como prisioneiro de guerra sem nunca ter dado um tiro sequer.

Sua história foi contada no livro “Era um Garoto – O Soldado Brasileiro de Hitler”, escrito por Tarcísio Badaró e publicado pela Editora Vestígio. 

Badaró, através de uma namorada, teve como fonte para seu livro o diário que Brenke mantinha atualizado durante seu tempo de prisioneiro de guerra.

As anotações eram inéditas, nunca tinham sido lidas nem mesmo pelos familiares e foram fundamentais para contar a história do soldado acidental. Como complemento de informações para a confecção do livro, Badaró contou com relatos de amigos e familiares, além de documentos oficiais conseguidos com muita dificuldade em meio a arquivos dos tempos de guerra.

Horst retornou ao Brasil em outubro de 1946. Com sua vida aparentemente de volta à normalidade, Horst casou-se, teve 7 filhos e viveu em Belo Horizonte até maio de 1984, quando, aos 57 anos, foi morto por um câncer.

Written by Higor Mendes

Corretor de Imóveis, cursou até o 3º semestre de Engenharia de Pesca na Universidade Federal Rural da Amazônia e atualmente é graduando em História na UNP. Apaixonado por História da Segunda Guerra Mundial, Política, Futebol e curiosidades em geral.

Menino ignorado pelo pai ganha ingressos para ir a parque de diversão

Fotógrafa faz lindo ensaio fotográfico com crianças especiais e em fase terminal